Guarda Municipal de Sumaré reforçará segurança na ‘saidinha’ temporária do Dia dos Pais

Por Célio 13/08/2019 - 13:43 hs
Foto: Release Prefeitura de Sumaré

A Guarda Municipal da Prefeitura de Sumaré vai reforçar a segurança na famosa ‘saidinha’ temporária do Dia dos Pais. A operação visando beneficiar a população sumareense, tanto nos bairros como na área comercial, principalmente nos arredores das agências bancárias, acontece a partir das 7h da manhã desta sexta (09) e se estende até às 18h do dia 14. A preocupação da corporação está ligada ao indulto do Dia dos Pais - data a ser comemorada no próximo domingo, dia 11 de agosto - em que centenas de detentos dos presídios da região vão deixar as unidades prisionais.

Além dos presídios de Hortolândia, a saída temporária também contempla presídios de Campinas, Piracicaba, e o Centro de Ressocialização de Sumaré (CR). “Precisamos reforçar a segurança da nossa população. É um período em que Sumaré e as demais cidades da região conviverão com centenas e centenas de detentos circulando livremente pelas ruas. A nossa Guarda Municipal vai intensificar o patrulhamento numa ação que tem como intuito proteger o povo sumareense”, garantiu o prefeito Luiz Dalben.

O indulto (perdão, graça, redução ou comutação de pena) é concedido pelo poder público, e está previsto no artigo 84, XII da constituição federal, tendo como instrumento formal um decreto emitido pelo presidente da república. Há, no entanto, algumas regras para que o sentenciado tenha direito a saída temporária. O benefício é concedido aos condenados que estão em regime semiaberto e já cumpriram 1/6 da pena se for primário, e 1/4 em caso de reincidente. O sentenciado deve apresentar boa conduta carcerária e informar um endereço fixo à Justiça.

Neste período de liberdade não poderão frequentar bares, boates ou locais de reputação duvidosa. Também ficam proibidos de circular pela rua no período entre 22h e 7h. O presidiário que descumprir as regras passa a ser considerado foragido e perde automaticamente o benefício do regime semiaberto, ou seja, quando recapturado, corre o risco de regredir de regime, podendo ser obrigado a voltar para o fechado, de sistema mais rígido.